quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Unattainable

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 08:11 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
quarta-feira, 26 de novembro de 2008

How do I love Thee?



XLIII

How do I love thee? Let me count the ways.
I love thee to the depth and breadth and height
My soul can reach, when feeling out of sight
For the ends of Being and ideal Grace.
I love thee to the level of everyday's
Most quiet need, by sun and candle-light.
I love thee freely, as men strive for Right;
I love thee purely, as they turn from Praise.
I love thee with a passion put to use
In my old griefs, and with my childhood's faith.
I love thee with a love I seemed to lose
With my lost saints, --- I love thee with the breath,
Smiles, tears, of all my life! --- and, if God choose,
I shall but love thee better after death.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 19:42 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
terça-feira, 25 de novembro de 2008

Coisas que nos fazem sentir bem

Com votos de uma rápida recuperação, um agradecimento sincero à Carla Hilário Quevedo, pelo destaque. O Domínio dos Deuses sente-se um condomínio de luxo e, apesar do risco de «deflação», até já aumentámos os preços.

Agora vou ali assistir ao lançamento d'A Nova Esquerda,
Raízes teóricas e horizonte político
, do Celso Cruzeiro: "O essencial da resposta a dar por uma esquerda nova, na difícil hora que atravessamos, passa pois pela questão de saber ler os sinais que a realidade de hoje lhe aponta: a urgência da construção de um programa emancipatório que constitui a sua identidade matricial, mas agora despido da certeza, do determinismo e da universalidade, tão só passível de ser desenhado no quadro da probabilidade, da contingência e da historicidade".

Esquerda e física quântica, só pode ser coisa boa.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 00:52 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
domingo, 23 de novembro de 2008

Sir Vidia



Esta tarde, na Fundação que alguns blogues persistem em denegrir, confundindo a árvore com a floresta, porque sim, porventura devido a alguma desonestidade intelectual, mas isso seria impossível de comprovar, excepto por métodos igualmente ilegítimos, entenda-se, no âmbito da exposição acusada de supremo "cabotinismo", Sir Vidia Naipaul, após uma leitura comovente, com um sotaque irrepreensível, leu excertos do auto-biográfico "The Enigma of The Arrival" (1987) e aceitou questões de uma plateia mais ou menos embevecida, incluindo de Maria Filomena Mónica, que interpelou Naipaul sobre a vantagem da periferia para una análise mais acutilante da realidade. O Nobel, com algumas dificuldades de audição, lá foi respondendo, pausadamente, reverberando aquilo que constitui uma lição de vida: não existem métodos de criação, nem ideologias de comportamento, apenas a liberdade de pensarmos por nós próprios.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 07:02 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem

Justiça em acção

"Inserido no programa recreativo do Oitavo Congresso [dos Juízes Portugueses], realiza-se um torneio de golfe, dia 23 de Novembro, na Quinta da Barca, Esposende, aberto a Juízes, Procuradores, Advogados e Funcionários Judiciais e familiares."

César, desculpa-me a piada fácil, espero que o congresso tenha sido um sucesso.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 01:07 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
sábado, 22 de novembro de 2008

O improvável não é impossível

Acabo de ler o FT, edição de fim-de-semana, e já não me apetece sair de casa, com medo de que o mundo acabe entretanto. Ou então deveria sair, para aproveitar o tempo que resta, mas pode dar-se o caso das simulações em lisboa serem mais reais do que pensamos. Enfim, uma maçada. Quanto mais leio sobre a crise económica mais fico com a convicção que ninguém sabe muito bem o que está a fazer e que, por mais que se faça ou se tente fazer, nada será suficiente para corrigir os erros de duas décadas de concentração irresponsável de riqueza nas mãos de uns poucos. Como ainda faltava alguma irracionalidade no sistema, os bancos estão tão receosos de emprestar dinheiro que com isso estão a arruinar a sua própria profissão. Não é necessário ser um guru da gestão, para compreender que sem crédito não há economia e que sem economia não há sistema bancário. Mas no meio de todas estas catástrofes, que já se traduzem em 80.000 desempregados, só nos últimos 5 dias, sempre conseguimos ler notícias que nos arrancam uma gargalhada. Ora, imaginem que são médicos e que se preparam para fazer uma operação que pode mudar o paradigma da medicina moderna tal como a conhecemos. Vivem no Reino Unido, por exemplo, e a operação cirúrgica vai ter lugar em Barcelona. Na viagem têm de levar convosco organismos vivos, no caso, células com poucas horas de vida cultivadas em laboratório que introduziram, suponho eu, num recipiente apropriado. Neste caso, o que fariam? Naturalmente, comportar-se-iam como professores universitários com vários doutoramentos em carteira e comprariam uma viagem numa companhia low-cost, confiantes que esta tivesse uma tarifa especial para organismos vivos que são seres humanos em potência. Errado? Pois foi o que fizeram Martin Birchall e Anthony Hollander, dois reputados cientistas da Universidade de Bristol, em trânsito para um transplante de traqueia que iria utilizar tecido humano criado a partir de células estaminais do próprio paciente. O irónico da situação, para além da situação em si, é que um dos cientistas, Martin Birchall, quase ia sendo preso por se ter revoltado quando a Easy-Jet lhe recusou a entrada no avião. Conhecendo o temperamento anglo-saxónico, conseguimos facilmente adivinhar a acesa discussão, a troca de insultos e a violência que se devem ter seguido ao incidente. Felizmente existem aviões-como é que não me tinha lembrado disto antes- privados, e a colombiana Cláudia Castillo foi transplantada com sucesso. A história, séria, pode ser lida aqui, ou em registo jornalístico aqui.



Ah, este sou eu, em versão Simpsons. Também devo ter acordado assim.

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 23:08 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Série BONFIM DE SEMANA: Esta já é antiga mas não me sai da cabeça há umas semanas.

Junior Boys ::: In The Morning

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 23:53 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem

LAST THURSDAY'S CUT COPY

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 02:31 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
sábado, 15 de novembro de 2008

Série BONFIM DE SEMANA: O que é que Paris tem?

Ladyhawke ::: Paris Is Burning



Friendly Fires ::: Paris



The Teenagers ::: Streets of Paris (Live)

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 02:08 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
sexta-feira, 14 de novembro de 2008

De novo a língua

Costumo respeitar pessoas silenciosas, quanto mais não seja por oposição a pessoas verborreicas. As pessoas silenciosas representam, no entanto, um perigo em potência. O silêncio pode ser utilizado, por exemplo, para disfarçar uma voz terrivelmente aguda ou, em casos mais extremos, uma dentição incompleta ou uma gaguez desarmante. Noutros casos ainda, o silêncio serve apenas para esconder o vazio. O vazio de ideias, o vazio de causas, o vazio de emoções. Manuela Ferreira Leite está neste último caso. Preferia quando não falava, pois assim evitava admitir que nada tem para dizer ou anunciar ao país, como hoje no Público: "Se eu tivesse políticas alternativas não as anunciava até às eleições; eram todas copiadas pelo PS".

Se eu tivesse juízo, ontem tinha-me deitado mais cedo, mas não tenho. Também não sou líder do principal partido da oposição, tenho sempre essa desculpa, já que o silêncio não me serve.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 18:47 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem

Cross-blogging

Susana, I'm soooo sorry.

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 11:55 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem

Agenda para hoje à noite

Cut Copy e Boyz Noize, hoje, no LUX.

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 00:50 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Donnafugata DJ SET

Deixo aqui uma experiência audio. Espero que gostem da selecção.

LIVE MIX - DONNAFUGATA
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 18:58 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
terça-feira, 11 de novembro de 2008

Tape ain't gonna fix it

Para não dizerem que tenho uma obsessão com a Lykke Li, agora que já me confirmaram a sua deslocação a Lisboa, ainda em Dezembro deste ano, venho confessar uma outra, chamemos-lhe fixação, desta feita pela americana Alison Mosshart, que com o ex-namorado da Kate Moss constituem os The Kills. Isto a propósito do novo registo vídeo do álbum Midnight Boom (2008), para Tape Song. A percussão cardíaca e as descargas eléctricas desta música fazem-me querer assaltar velhinhas, com todo o respeito, obviamente.



Em baixo podemos ver uma "desamparada" Alison Mosshart depois de ser assistida por um bombeiro durante um concerto em NY, que Mr Bronques ironicamente apelidou de "Kills on Fire".



A imagem de Kate "groupie" Moss, nesta sequência, é confrangedora.

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 02:52 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Série Bonfim de Semana

Esta semana, mais tarde, acabado de regressar de Londres: Valentine, de Mr Richard Hawley. Estava a chover em Brick Lane.

Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 06:19 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
quinta-feira, 6 de novembro de 2008

McCain-Obama

Tentei não escrever sobre a noite passada. Não porque não me apetecesse, mas apenas porque queria esperar que desaparecesse o travo amargo que experimentei ao ouvir o discurso da vitória. Não me interpretem mal, desde a primeira hora fui um apoiante entusiasmado do agora Presidente. Mas depois de ouvir o refrão “to change” tantas vezes, queria que este significasse mais do que a conjugação de um verbo de oportunidade. Senti também um pouco o vazio do amante depois da conquista. Um presidente negro eleito nos Estado Unidos com 349 votos, até ao momento, e maiorias no senado e no congresso configuram, no entanto, aquilo que se pode considerar uma vitória em toda a linha, sem prejuízo das leituras laterais que possam ser feitas ou das narrativas históricas que se queiram construir. Se as coisas forem bem feitas, o que todos esperamos e ansiamos, esta vitória pode traduzir-se numa mudança significativa - não tenho assim tantas ilusões - da sociedade americana e, por contaminação, de todos nós. Desde logo e de forma a conseguir evitar alguns (ainda) possíveis desastres até Janeiro, Obama tem de escolher a equipa o mais rapidamente possível, sem erros de casting nem políticas de bastidores ou concessões partidárias. A conjuntura não se compadece com movimentos dilatórios e saber quem irá ser o próximo Secretário de Estado do Tesouro, por exemplo, poderá introduzir alguma serenidade nos mercados e nos consumidores.
Seria injusto, no entanto, afirmar que a vitória pertence apenas a Obama, ou a Bush, pois houve muitos erros não forçados ou até alguma ingenuidade de McCain. Até parece que os fez propositadamente, pois o seu percurso e personalidade fazia adivinhar uma campanha bem mais disputada ou, pelo menos, discutida a um outro nível. E já nem me refiro ao desastre Sarah Palin, porque não gosto de concordar com José Saramago em público.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 06:12 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
terça-feira, 4 de novembro de 2008

Any given Sunday




Desde a FIL até ao Coliseu dos Recreios vai uma grande distância. Gostaria de vos presentear uma fotografia da CHRISTINE BREWER a interpretar os Wesendonk-Lieder do Wagner com a Orquestra Sinfónica da BBC, num momento de extraordinária intensidade, mas infelizmente não permitem a captação de imagens. Fica aqui, no entanto, o registo de uma outra representação a que tive a oportunidade de assitir, na tarde do mesmo Domingo, numa indústria aparentemente menos preocupada com os direitos de/a imagem.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 04:28 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
segunda-feira, 3 de novembro de 2008

CIRCUM-NAVEGAÇÃO




A minha Escola Secundária Fernão de Magalhães, em Chaves, continua a bater-se nos rankings das escolas secundárias, com um 12-42-33 (públicas, geral, escolas com mais de 50 exames).

Fico sempre muito orgulhoso.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 18:12 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
sábado, 1 de novembro de 2008

Profecias




Os endorsements de jornais estrangeiros são sempre perigosos e contraproducentes, para não dizer desastrosos, como o apoio do Economist a W. Bush em 2000. Um pouco de humildade não lhes ficava nada mal.
Publicada por Rui Hermenegildo à(s) 01:00 | 0 comentários   Hiperligações para esta mensagem
Subscrever: Mensagens (Atom)

ShareThis

Acerca de mim

name: Rui Hermenegildo

info: O Domínio dos Deuses, um blogue sobre condomínios

Ver o meu perfil completo